A Tenda Negócios Imobiliários conseguiu ter aprovada pela Prefeitura de São Paulo a construção de onze torres no Jaraguá, comprometendo a Mata Atlântica e descumprindo o direito ambiental, e a Terra Indígena (TI) Jaraguá, onde vive parte do povo Guarani Mbya, violando as normas relativas aos povos originários, incluindo a Convenção n. 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), visto que os indígenas nunca foram consultados sobre o empreendimento que, a construtora pretende, ficará na beira da TI.

Depois de a Tenda derrubar sem estudo de impacto ambiental 522 árvores da Mata Atlântica em janeiro de 2020 (o Jaraguá é um dos pouquíssimos remanescentes desse bioma no município de São Paulo), os indígenas entraram na área e criaram a Ocupação Yary Ty para impedir mais devastações. Os Jornalistas Livres contaram a história da ocupação e seu apelo para que os apoiadores comparecessem à Justiça Federal em quatro de março: “Entenda a luta do povo Guarani pelo Parque Ecológico Yary Ty no Jaraguá-SP“.

Em 4 de março de 2020, o povo Guarani da Terra Indígena do Jaraguá participou de audiência, na 14a. vara cível da Justiça Federal em São Paulo, de processo contra construtora Tenda. A empresa pediu reintegração de posse para expulsá-los, e a Justiça Estadual atendeu ao pedido.

O povo Guarani esperava outra decisão, mas a Justiça Federal decidiu não apreciar a questão da reintegração, entendendo que se trata de mera questão de propriedade privada, que competiria ao juízo estadual. Por essa razão, as lideranças indígenas no vídeo abaixo, filmado logo depois da audiência judicial, declaram que resistirão à expulsão marcada para 10 de março, e os vereadores que os acompanham afirmam que tentarão saídas políticas. Falam, da direita à esquerda, Thiago Karai Djekupe, os vereadores Eliseu Gabriel e Eduardo Suplicy, e David Karai Popygua.

 

 

Nesta nota pública, o povo Guarani pede apoio para a resistência contra a reintegração de posse que, em princípio, está marcada para 10 de março:

[…] uma nova convocação se faz necessária, a Ocupação Yary Ty chega em fase crucial de resistência e sobrevivência, com a execução da ação de reintegração de posse, hostil e armada, contra um movimento de salva guarda da Mãe Natureza e do Nhanderekó Guarani (modo de vida e cultura). É solicitado, a todos e todas que puderem, comparecerem e se possível acamparem da virada do dia 09 para o dia 10 na ocupação, afim de somar nessa luta! Aguyjevete

guarani yary ty

 

Nas atividades da Resistência, já estão confirmados artistas como Arnaldo Antunes.

Para seguir a programação e contribuir, consultem a página do evento: https://www.facebook.com/events/1085251568502268/permalink/1085713861789372/

 

Nota: Este artigo é meramente informativo. Para confirmação das informações, entrem em contato com os organizadores.