"Menos um", instalação de Veronica Stigger

“Menos um”, instalação de Veronica Stigger

NOTA DE REPÚDIO

 

Campinas, 16/06/2016

 

 

O Departamento de Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) manifesta seu repúdio e sua indignação em relação ao mais recente massacre contra os Guarani e Kaiowá. Desta vez, o ataque aconteceu na manhã do dia 14 de junho do presente ano, no tekoha Toro Paso, localizado no município de Caarapó-MS, resultando em pelo menos uma dezena de pessoas feridas (dentre elas, mulheres e crianças) e na morte do agente de saúde indígena Clodione Rodrigues Souza Guarani-Kaiowá.

O assassinato de Clodione vem se juntar às execuções dos professores Rolindo e Genivaldo Verá, em 2009, e de Teodoro Recalde, em 2011, todos mortos em função da disputa pelo Tekoha Y’Poi, localizado no município de Paranhos; 2011 também registra o assassinato e desaparecimento do corpo do cacique Nísio Gomes, no Tekoha Guaiviry, município de Amabaí; em 2015, foi assassinado Simeão Vilhalva, abatido na Terra Indígena Ñande Rú Marangatú, no município de Antonio João. A lista de assassinatos cometidos no triângulo da disputa por terras do Mato Grosso do Sul parece não ter fim, estes crimes continuam impunes, sendo de conhecimento público que todas as pessoas foram assassinadas por jagunços e milícias a mando de fazendeiros locais cujos nomes são sobejamente conhecidos. Outros grupos desta etnia vem sofrendo ameaças.  A última refere-se às famílias do tekoha Apyka’i, em Dourados. O juiz federal Fábio Kaiut Nunes requisitou ao Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, o envio de tropas da Força Nacional de Segurança Pública para retirar os indígenas da área onde se encontram acampados e que está arrendada pela Usina São Fernando.

O corpo de docentes do Departamento de Antropologia do IFCH-Unicamp exige que todos os crimes mencionados sejam apurados e punidos e que o Estado brasileiro cumpra seu dever constitucional de garantir aos Guarani e Kaiowá seu direito originário às terras que tradicionalmente ocupam, protegendo e fazendo respeitar a vida das populações indígenas, em seu sentido pleno.  

 

Departamento de Antropologia – IFCH – Unicamp

 

 

 

Manifesto against the murders of

Guarani Kaiowa indigenous people in Brazil

 

 

Campinas-São Paulo-Brazil, 16/06/2016

 

 

The Department of Anthropology of the Institute of Philosophy and Human Sciences at the State University in Campinas (Unicamp) expresses its repudiation and indignation concerning the most recent massacre against the Guarani and Kaiowá. This time, the attack took place on the morning of June 14th, 2016, in tekoha Toro Paso, a region located in the municipality of Caarapó-MS, resulting in at least ten wounded (among them women and children) and in the death of the indigenous health agent Clodione Rodrigues Souza Guarani-Kaiowá.

Clodione’s murder adds up to the executions of two teachers in 2009, Rolindo and Genivaldo Verá, and to that of Teodoro Recalde, in 2011, all killed as a consequence of a dispute over tekoha Y’Poi, a strip of land located in the municipality of Paranhos. 2011 also saw the murder and disappearance of chief Nísio Gomes’s body, in the tekoha Guaiviry, in the municipality of Amabaí; in 2015, Simeão Vilhalva was killed in the indigenous land of Ñande Rú Marangatú, in the municipality of Antonio João. The list of killings in the triangle of disputed land in Mato Grosso do Sul seems to be endless, and such crimes remain unpunished, even though it is public knowledge that all the victims were murdered by mercenaries or militiamen hired by local farmers, whose names are widely known. Other groups of the same ethnicity suffer constant threats. The latest threat refers to the families of the tekoha Apyka’i, in Dourados. The federal judge Fábio Kaiut Nunes made a request to the Minister of Justice, Alexandre de Moraes, for the assistance of the Força Nacional de Segurança Pública (Public Security National Force) to remove the Indians from the area where they are encamped, an area that has been leased by the Usina São Fernando.

The faculty members of the Department of Anthropology, at the IFCH-Unicamp, demand the investigation of all the above-mentioned crimes and punishment for the perpetrators; and that the Brazilian State carries out its constitutional duty to safeguard the Guarani and Kaiowá’s original right to the lands they traditionally occupy, by protecting and guaranteeing the right to life of the indigenous population, in its full scope.

 

Department of Anthropology – IFCH – Unicamp